Sonhar faz bem, mas já provou realizar seu sonho?

Sabe aquela hora em que sentamos e começamos a projetar os próximos passos? Ou aquele momento em que decidimos que já é hora de tornar nossos sonhos em realidade? Conseguir alcançar os próprios desejos é ótimo, não é?

Somos invadidos por um sentimento de realização, concedido pela coragem e vontade de realizar coisas novas. A segunda parte é a hora de fazer toda essa vontade transformadora tomar forma e se materializar em um plano concreto. É tempo de planejar e correr atrás!
Nossos sonhos podem se tornar realidade. Mas para isso é necessário ter uma noção bastante realista das ferramentas que se tem, das que faltam e o que é necessário para adquiri-las. Paciência é outra virtude. Sem ela, logo cansamos do projeto e desistimos de comprar aquele apartamento que tanto queremos, realizar aquela viagem desejada há anos ou fazer o casamento acontecer.


5 dicas para conquistar seus sonhos
Em cinco dicas podemos desenvolver um plano eficaz para se alcançar o que é almejado. Vamos lá:


Dica 1 – Defina as regras do jogo
É vital saber o que se quer com exatidão. Esse é o momento de delimitar o sonho, definir o traçado básico do seu objetivo. A ideia é comprar uma casa? Qual
o tamanho, localidade e valor? Quer viajar para o Oriente? Para onde, quando, com quem? Saber o que se almeja concretamente facilita na hora da execução.
Outra definição importante é ter clareza sobre o tamanho do sacrifício que se está disposto a enfrentar. Autoconhecimento é a chave para essa questão. Metas irrealistas, como comprometer-se a economizar 50% do salário, quando mal se consegue fechar as contas do mês, levam à frustração e ao abandono do projeto. É certo que alguma privação terá de ser feita, mas é bom ater-se ao que é factível.


Dica 2 – Faça um diagnóstico da realidade
Definido o sonho em termos reais (reais mesmo, pois deve-se saber exatamente quanto custa o projeto), é hora de fazer um check-up das finanças. Saiba como andam seus gastos, onde e como você emprega seu dinheiro. Em seguida, verifique onde é possível fazer cortes, identifique as áreas que podem sofrer mudanças.
Faça as contas e veja quanto você pode gastar do seu salário ou retirar da poupança para investir no seu sonho.


Dica 3 – Seja razoável
Evite frustrações e estabeleça metas que podem ser realizadas. Tenha sempre em mente que você deve estar confortável com o esforço feito. Se você resolver tomar atitudes muito radicais, ou muito distantes de sua realidade pessoal e financeira, muito possivelmente, irá se cansar do projeto, muito antes de poder vislumbrar o resultado. E isso é uma pena, também um desperdício. Vai-se embora a vontade de mudança e a coragem de criar coisas novas. Não caia nessa armadilha: vá aos poucos, um passo de cada vez, e você terá resultados concretos.
Prefira realizar um sonho de cada vez. É mais seguro para você investir dinheiro e esforços em conseguir um item ou atividade que é desejada do que adquirir várias coisas ao mesmo tempo através de muitas parcelas.

Dica 4 – Mantenha o foco
Uma vez feito o plano de contenção econômica, mantenha-se nele. Se esforce para atingir as metas mensais de economia. E fuja de quaisquer tentações consumistas. Lembre-se que seu dinheiro está comprometido com seu sonho. Nada de traí-lo: o castigo será a frustração. Honre seu projeto, siga o plano, não gaste tanto e fuja de dívidas.
Ao longo do caminho pode ser que surja alguma emergência na qual você precise gastar dinheiro, o que não significa perder o foco. Quando puder reserve uma quantia para os imprevistos.


Dica 5 – Seja flexível
“Apenas idiotas não mudam de ideia”. A frase parece ser dura demais, mas perceba o que ela quer dizer. Trata-se de uma citação do premiado filme franco-canadense “As invasões bárbaras” e refere-se aos propósitos que foram feitos há anos, mas que no presente já não fazem mais qualquer sentido. São apenas obrigações que você se impôs, mas que já não têm razão de ser.
A ideia é que, apesar de ser crucial manter o foco e seguir o plano, é também sensato checar de tempos em tempos se o objetivo final ainda é coerente com seus desejos e sua situação. Especialmente em projetos a longo prazo. Um casal, por exemplo, decidiu economizar durante meses para poder passar o Ano Novo em um cruzeiro pelas ilhas gregas. Tudo dentro dos conformes, o casal era disciplinado, cumpriram exatamente o que planejaram, até que a esposa se descobre grávida. Surpresa para ambos e é hora de rever a prioridade da viagem. Afinal de contas, eles podem usar o dinheiro já poupado para começar a organizar a vinda do bebê.
Não precisa ser um evento tão definitivo quanto a chegada de um filho, mas é racional reavaliar os motivos que levaram ao estabelecimento do objetivo. Se eles ainda se mantiverem válidos é só continuar a seguir o plano. Caso alguma coisa mude, basta reorganizar as ideias e fazer ajustes. E continuar a sonhar, planejar, dedicar-se e alcançar o que se almeja.